Vou Nessa

5519-cone-crew-divulgaaao

ConeCrewDiretoria

Visualizações

Doce Doce

Redescobrindo em ondas psicodélicas novas peças eras
Do quebra cabeça completa a minha ideia submersas sintética
Em calculos distorcidos pelo bandido clínico, constante frio no espírito elevado por poderes cínicos

Esse arqueológico sítio de governos superlativos
Que mantem preso num constatante ritmo ilusorio vício
Ocio causando mal e a segregaçao para o povo
Ódio cotaminando e destruindo geraçoes de novo

É foda quem se importa, se comporta pois na porta tá os de farda, de pistola
Na hora que eu chego de bike eles querem confiscar a droga não rola
Pois também tenho uma proposta muito simples, legalização da maconha

Sei que vou correr atrás sou capaz dos meus diretos de qualquer rapaz, sobrevivo num puteiro
Se tanto faz não vem que não tem mal ou bem sem 1 de mais 100, camikaze rastafari zen

Se liga é urgente, a chapa tá fikando quente
Então não se mantenha ausente, na boca o que falta é dente
Não pente,
Porque isso num falta pra expulsar
Se não da para combate é melhor se aliar.
No submundo se for la poço, é la do fundo
Culto ao estilo rústico, subito, público, lúdico, surdo
Da emissão das minhas palavras, poesias e rimas os poetas da batalha
Que é dura e ardua na sua venta sanguinaria
Meninos jogando bolas no campo sujo de pura varzea
A traça estraçalha a tática que trata da tardia táça que se atraca com bombados na noitada
Tomam chutes na cara desafiam o hulk pra porrada
Explanaçao de pederasta igual balao que se inflava
Na saga acha é alguém porque tem arma
Mas arma é sua cara que é a marca da pala
Fala pra todo mundo rala eu sou o contexto das suas balas
So não se ligo que a mente esta encarcerada
Ti deram a alforria mas não dos pensamentos
O corpo se encontra livre e na senzala o cerebelo
Persisto, vejo tento me inspiro e creio sento no parapeito
Não vejo nen um progresso
Foda-se a sociedade que ainda me julga eu vou zoar na rave eu vou de bike até a lua .

Eu quero um doce-doce, por favor um doce moço
Tô vendendo doce-doce pra ninguém
Eu quero um doce-doce, por favor um doce moço
Não vou assinar o 12 pra ninguém .....

Perplexo ao reflexo de ter sua vista colada ao teto
Por doses e tragos, surtado, confuso inquieto e discreto
Um desconforto infernal domina meu ser de forma que me altero
Não julgue nem ofereça sua paz psicodelia é tudo que eu quero

Ser destrutivo introduzido no calice da humildade
O sentimento escudo-cura para os hematomas covardes
A escuridão é o refugio nulo aos que veêm e não enxergam a verdade
Porém a interveição do pai será por viida e amor a humanidade

De bairro em bairro, cidade a cidade, praças shoppings mares lares e bares
Oxalá, jesus, messias, coredeiro, já rastafari
O verdadeiro profeta desdenha das estrelas sua menssagem
Associando a reconstituição da alma a evolução da sua mentalidade

O desepero e a angustia se encotraram e tão na tua porta
O que te divertia agora te sufoca e te incomoda
A praga joga, rola,logo volta,cola, desenrola, amola e estora na mão do hipocrita
Me diz que o rap não é cultura, o cultural é quem rebola

Poe dinheiro no bolso vai na tv e faz cara de idiota
Se cair na roda, roda, entorta, paraliza, choca e chora
Misericordia nossa senhora!

Coma astucia e inteligencia eu separo adição da multiplicação aos dividendos .aprendo vendo ao tempo
Trabalhando, obtendo o auto-sustento, eu tento e tento e me arrebento e continuo vivendo ativo no talento, eu tô querendo, tô tremendo
Tô doidão, num tô entendendo, minha boca tá amargando o gosto doce do veneno
Veneno doce ..

Eu quero um doce-doce, por favor um doce moço
Tô vendendo doce-doce pra ninguém
Eu quero um doce-doce, por favor um doce moço
Não vou assinar o 12 pra ninguém .
Composição: ConeCrewDiretoria
Gênero: Funk

Últimos Vídeos